Finalista da viagem só de ida para Marte acusa: “É uma farsa”

MarteA organização Mars One foi criada pelo holandês Bas Lansdorp com um principal objetivo: enviar uma equipe de exploradores espaciais para Marte para colonizar o planeta. Um projeto ambicioso que recebeu milhares de candidatos interessados em ganhar uma viagem só de ida para Marte.

Um dos finalistas descreve agora tudo como uma “autêntica farsa”. Em declarações à revista Matter, Joseph Roche, disse que os selecionados ganham pontos para passar nas fases seguintes de forma aleatória e sem qualquer sistema de ranking. “A única maneira de conseguir ganhar pontos é comprando mercadorias [necessárias para levar na viagem até Marte] ou doando dinheiro”, frisou.

Doutorado em física e astrofísica, Roche classificou de “duvidosas” as formas como os responsáveis pelo projeto estão a arrecadar o financiamento que precisam para levar a cabo a expedição, que custará uns estimados 6 mil milhões de dólares.

O fundador da Mars One, Bas Lansdorp, já tinha referido anteriormente que o financiamento vive de doações por empresas privadas e outras companhias que subscreveram a campanha. No entanto, Roche tem uma opinião completamente contrária: “Os candidatos receberam, em fevereiro, uma lista de dicas e truques para lidar com as solicitações dos órgãos de comunicação social. Se os candidatos fossem pagos para dar uma entrevistas, a Mars One elucidava os candidatos a doarem “gentilmente” 75% do lucro arrecadado para o projeto”, contou.

O processo de seleção não escapou às duras críticas do professor que esperava vários dias de entrevistas, treinos e testes. Em declarações à revista Matter, Roche confessou que, no final das contas, o resultado foi uma única chamada de 10 minutos pelo Skype.

A primeira fase começa em 2018 através de uma missão exploratória. Dois anos depois, prevê-se o envio de um veículo espacial não-tripulado a Marte para estudar as condições, o ambiente e outros elementos do local. Em 2022 serão enviados robôs para garantir a sobrevivência dos colonizadores que serão enviados em 2024, numa viagem que, se for avante, vai marcar a primeira ida de seres humanos para Marte. Posteriormente serão enviados, de dois em dois anos, quatro pessoas para irem compondo o painel dos colonizadores em Marte.

Viagem privada sem volta a Marte já tem mais de 100 mil inscritos

viagem a Marte Mais de 100 mil pessoas se inscreveram para uma viagem sem volta à Marte, dentro de um projeto que pretende colonizar o planeta a partir de 2023.

As inscrições online, que ainda estão abertas até o dia 31 de agosto, fazem parte doMars One , iniciativa liderada pelo cientista holandês Bas Lansdorp, que participou de uma conferência no último dia 9 por meio do Twitter, para responder perguntas dos candidatos e jornalistas.

Lansdorp, que confirmou o número de inscritos aos principais jornais americanos esta semana, disse que a quantidade de candidatos tende a crescer ainda mais nas próximas semanas.

“Existe um grande número de pessoas que ainda está trabalhando nos próprios perfis, decidindo se pagam ou não pela inscrição ou continuam preparando os vídeos de apresentação, preenchendo os formulários e seus currículos”, explicou Bas em entrevista à rede de TV CNN.

Os candidatos que decidem se inscrever pagam uma taxa que, de acordo com os organizadores do Mars One, ajudará a financiar o custo do projeto, orçado em Us$ 6 bilhões (ou quase R$ 14 bilhões).

O valor da inscrição, que só pode ser feita por quem tem 18 anos ou mais, varia de acordo com o país. Nos EUA a taxa é de US$ 38 (ou cerca de R$ 86), sendo que no México o valor é menor – US$ 15 (ou aproximadamente R$ 34).

Patrocínio

O site oficial do Mars One iniciou no começo do mês a exibição de um documentário – o One Way Astronaut (Astronauta sem volta) – que explica o projeto em detalhes para aqueles que se dispuserem a morar em Marte. No entanto, para assistir ao filme, o internauta também precisa pagar – US$ 2,95 (R$ 6,79) para visualização online ou US$ 4,95 (R$ 11,32) para download.

“O Mars One é uma missão representando toda a humanidade e seu verdadeiro espírito será justificado apenas se pessoas de todo o mundo estiverem representadas. Eu me orgulho de ver exatamente isso acontecendo”, explica Lansdorp.

Todos os valores são justificados como doações para financiar os quase R$ 14 bilhões descritos como necessários para construir as estações para habitação em Marte, além de financiar o custo da própria viagem, que de acordo com o site da missão, levará sete meses e será “o próximo grande passo da humanidade”.

Em janeiro, o Mars One divulgou em anúncio oficial do próprio site que o Interplanetary Media Group – empresa que gerencia todos os investimentos de propriedade intelectual e mídia do projeto – também recebeu os primeiros investimentos privados cujo valor não foi divulgado. De acordo com o site da missão, o fundo irá financiar os custos de pesquisa e o processo de seleção do Mars One.

Seleção

Até agora, o site do projeto confirma ter recebido inscrições de mais de 120 países, incluindo o Brasil, EUA, China, Rússia, México, , Canadá, Colômbia, Argentina e Índia.

“O Mars One é uma missão representando toda a humanidade e seu verdadeiro espírito será justificado apenas se pessoas de todo o mundo estiverem representadas. Eu me orgulho de ver exatamente isso acontecendo”, disse Lansdorp em artigo publicado no site do Mars One.

Os futuros astronautas da missão serão escolhidos em 4 etapas.

Na primeira, a seleção é feita com base no currículo, carta de intenção e vídeo enviado pelo candidato. Na segunda fase, os candidatos devem apresentar atestado médico e físico e se encontrarão com comitês regionais da missão para entrevistas.

Na terceira etapa, o processo passa para o nível nacional, de onde sairá um candidato por país selecionado. Essa etapa será transmitida pela TV e internet em cada país participante e o público desses países decidirá o próprio representante dentre um grupo de 20 a 40 candidatos por nação.

Na etapa final, os candidatos restantes, que precisam se comunicar bem em inglês, participarão de um evento transmitido pela TV em todos os países participantes para selecionar apenas 24 astronautas.